O Ministério da Saúde adverte: cachorro-quente…

Marcos Guterman

24 de julho de 2009 | 12h52

Um grupo de vegetarianos de Nova Jersey entrou na Justiça para exigir que as empresas que vendem produtos para fazer cachorro-quente coloquem na embalagem a advertência de que consumir salsicha “aumenta o risco de câncer”.

“As empresas que vendem cachorro-quente estão cientes dos perigos, e seus consumidores merecem o mesmo tipo de informação”, disse Neal Barnard, presidente do Cancer Project, que encabeça a ação.

Consumidores ouvidos pelo Chicago Tribune disseram que tal aviso não mudará seus hábitos alimentares – só no ano passado, foram vendidos US$ 3,4 bilhões em produtos para cachorro-quente nos supermercados americanos. E mesmo os especialistas em nutrição são reticentes sobre a proposta. “Se fôssemos avaliar cada alimento por sua toxinas naturais e eliminássemos esses alimentos, nosso prato ficaria vazio”, disse um nutricionista ouvido pelo jornal.

As empresas, por sua vez, apelam para a tradição. Para a Kraft, a proposta não tem fundamento, porque os americanos têm consumido cachorros-quentes “há mais de cem anos”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.