O inacreditável Radovan Karadzic

Marcos Guterman

02 de março de 2010 | 19h15

O criminoso de guerra sérvio bósnio Radovan Karadzic, que está sendo julgado em Haia pelas atrocidades sérvias cometidas na Bósnia em meados nos anos 90, deu um depoimento impressionante ao tribunal.

Ele disse que os sérvios não podem ser responsabilizados pelos 12 mil mortos no cerco sérvio a Sarajevo. Segundo Karadzic, a maioria das vítimas foi atingida por bombardeios e tiros dos próprios bósnios, que queriam “provocar intervenção estrangeira” no conflito. De acordo com ele, dois bombardeios em um mercado de Sarajevo foram forjados, para colocar a culpa nos sérvios bósnios. Sobre as dezenas de mortos nos dois ataques, Karadzic disse que “talvez tenham sido cadáveres que eles mesmos colocaram lá”.

Mas Karadzic foi ainda mais longe. A respeito do massacre de Srebrenica, em que 7 mil homens e garotos bósnios foram mortos – a pior atrocidade desde a Segunda Guerra Mundial –, ele afirmou que tudo não passa de uma “ficção” criada pelos muçulmanos para comprometer os sérvios.