O fim da história: até Fukuyama apóia Obama

Marcos Guterman

30 de outubro de 2008 | 00h55

Francis Fukuyama, um dos pilares do movimento neoconservador americano e que já foi entusiasta do governo Bush, declarou seu voto no democrata Barack Obama.

Autor do famoso artigo “O Fim da História?”, em que expôs a tese de que a história como disputa ideológica havia chegado ao fim com a derrota da URSS e o triunfo da democracia liberal, Fukuyama justificou sua inusitada escolha eleitoral em texto no The American Conservative.

“Vou votar em Barack Obama por uma razão muito simples”, escreveu Fukuyama.Para ele, diante do “desastre da presidência de Bush”, que resultou numa “guerra desnecessária” e no “colapso do sistema financeiro americano”, seria uma distorção “premiar os republicanos depois de um fracasso tão retumbante”. Eis a razão pela qual, diz o cientista político, John McCain “está tentando desesperadamente fingir que nunca teve nada a ver com o Partido Republicano”.

E Fukuyama argumenta sobre seu voto: “Obama está muito mais bem posicionado para reinventar o modelo americano e certamente apresentará uma face muito diferente e mais positiva da América para o resto do mundo”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.