O chavismo revelado

Marcos Guterman

25 de fevereiro de 2011 | 21h45

Enquanto o mundo civilizado se mobiliza para pressionar Kadafi, e a ONU diz que é hora de agir para interromper o massacre na Líbia, a Venezuela dá explicitamente apoio ao ditador.

Em vídeo que pode ser visto aqui, o chanceler venezuelano, Nicolas Maduro, faz um feroz discurso em que elogia Kadafi e sugere que o noticiário sobre a Líbia é mentiroso.

Assim, a crise líbia dá aos sul-americanos a oportunidade de conhecer o verdadeiro caráter do regime venezuelano, se é que ainda havia alguma dúvida sobre isso. Por trás da retórica da “defesa dos povos”, o governo chavista se alinha justamente a um genocida – e adota a conhecida tática totalitária de negar a realidade, atribuindo a uma conspiração internacional todas as informações que possam contrariar seu discurso.

Será difícil aos simpatizantes de Chávez explicar o elogio do caudilho a Kadafi sem insultar a inteligência alheia.

Mas eles são criativos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.