O capitalismo acabou: chegou o "acmetalismo"

Marcos Guterman

13 de março de 2009 | 01h16

O presidente do Cazaquistão, Nursultan Nazarbayev, resolveu ajudar o mundo a sair da crise. Ele sugeriu a criação de uma moeda única para o planeta: o “acmetal”.

O “acmetal” é uma mistura entre a palavra grega “acme”, que quer dizer “o ponto mais alto”, e a palavra “capital”. Nazarbayev explicou que essa coisa seria estabelecida pela ONU. “Temos de fazer a transição para um sistema monetário global absolutamente novo, baseado na legitimidade”, explicou ele a colegas numa conferência econômica. Nazarbayerv entende bem do assunto: estima-se que tenha desviado mais de US$ 1 bilhão dos ganhos estatais com petróleo para contas particulares no exterior.

Para o presidente cazaque, uma vez que o “acmetal” esteja estabelecido, o mundo deverá deixar de chamar o sistema global financeiro de capitalismo, passando a denominá-lo “acmetalismo”.

Dá para imaginar que, no “acmetalismo”, quem sai ganhando é a Acme, fábrica que faz todos os produtos consumidos nos desenhos do Pernalonga e do Patolino. Abaixo, alguns exemplos:




publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.