No dos outros é refresco

Marcos Guterman

19 de agosto de 2010 | 23h30

Um documentário levado ao ar pela BBC nesta semana afirma que o objetivo dos ativistas do navio Mavi Marmara, pivô da famosa “Flotilha da Liberdade”, não era levar ajuda humanitária aos moradores de Gaza. Segundo o programa, os líderes do ato arquitetaram a operação somente para causar um incidente e constranger Israel. Além disso, os soldados israelenses que abordaram o barco foram recebidos com violência, numa ação premeditada, segundo concluiu o documentário, que usou imagens inéditas obtidas tanto de Israel quanto dos participantes da flotilha, além de entrevistas com envolvidos de parte a parte.

A exibição do programa, chamado “Morte no Mediterrâneo”, irritou profundamente grupos palestinos, porque a versão levada ao ar contraria todo o discurso que se seguiu ao incidente – o de que os israelenses eram cruéis assassinos de inocentes voluntários desarmados que só queriam entregar comida, remédios e brinquedos em Gaza. Para os ativistas, a BBC fez propaganda pró-Israel.

De fato, a organização noticiosa britânica BBC é frequentemente acusada de distorcer as informações que publica. Há até um verbete no Wikipedia e um blog dedicados ao assunto. Em geral, no que diz respeito ao Oriente Médio, os israelenses são os que mais se queixam da BBC, para deleite dos “antissionistas” ­– que, a título de “provar” os “crimes” de Israel, citam as reportagens da rede britânica largamente baseadas em informações frágeis e na versão dos palestinos. Agora, porém, parece que a situação se inverteu.

 

Abaixo, o programa da BBC, em duas partes:

Tudo o que sabemos sobre:

BBCFlotilha da Liberdade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.