Na Alemanha, ódio aos judeus cria estranha aliança

Marcos Guterman

15 Julho 2010 | 12h29

A Alemanha está testemunhando a formação de uma aliança “informal e acidental” entre neonazistas e imigrantes muçulmanos, mostra reportagem da revista Der Spiegel. Segundo autoridades da agência de inteligência doméstica alemã, o que une os dois grupos são “ideologias antissemitas vagamente similares”.

O antissemitismo neonazista, como se sabe, tem bases racistas explícitas, enquanto os jovens muçulmanos radicais se manifestam por meio de um antissionismo com evidente carga antijudaica. Nos dois casos, diz a agência, os judeus são vistos como excessivamente poderosos, assim como Israel, e os extremistas assumiram a tarefa de combater esse poder imaginário.

A Spiegel afirma que a retórica inflamada de líderes islâmicos contra Israel alimenta a ameaça crescente de violência contra os judeus por parte de “imigrantes ainda mal integrados” ao país ­– os mesmos imigrantes que, ironicamente, também são alvo da fúria neonazista na Alemanha.