"Minha Luta": apenas um documento histórico

Marcos Guterman

10 de agosto de 2009 | 23h17

O Conselho Central dos Judeus da Alemanha manifestou seu apoio à publicação de “Minha Luta”, o livro de Adolf Hitler banido no país desde o fim da Segunda Guerra por razões óbvias.

O argumento do grupo judaico é simples: se editado corretamente, com notas de rodapé e comentários críticos de historiadores sérios, o livro ajuda a jogar luz sobre Hitler e suas idéias, o que é fundamental para compreender a história do período.

No Brasil, não existe proibição formal ao livro, mas “Minha Luta” não se encontra facilmente em livrarias. O exemplar que eu tenho, editado pela Centauro, eu adquiri numa feira de livros na PUC-SP. Parecia que eu estava comprando alguma droga ilícita.

Tendências: