Lula pode ficar tranquilo

Marcos Guterman

30 de novembro de 2010 | 00h15

O narcisismo deixou de ser considerado um transtorno de personalidade, como vai atestar a quinta edição do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais.

Segundo escreveu o psicólogo americano Charles Zanor no New York Times, narcisista é aquela pessoa que apresenta “um grandioso senso de si mesmo e que exagera muito sobre suas habilidades, e isso geralmente é acompanhado por fantasias de grandeza”.

A descrição prossegue: “Como o narcisista é bastante convencido de sua importância, ele espera automaticamente que os outros lhe reconheçam suas qualidades superiores e lhe falem sobre isso. Não basta que ele saiba que é grande. Os outros devem confirmar isso, e devem fazê-lo de modo entusiasmado”.

Para os especialistas, é um erro retirar o narcisismo da lista de transtornos mentais. Como resumiu o psiquiatra John Gunderson, os narcisistas “têm pouca consideração pelos danos que possam causar”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.