“Jesus era muçulmano”

Marcos Guterman

27 de dezembro de 2011 | 17h36

O britânico Anjem Choudary é uma das principais lideranças do islamismo radical no Reino Unido. Ele defende a adoção da sharia (lei islâmica) no país, foi um dos que elogiaram os terroristas do 11 de Setembro e já pediu a execução do papa e de Obama. Em sua mais recente mensagem, a propósito do Natal – que ele chama de “festa pagã”, associada a “promiscuidade, abuso de álcool, violência doméstica e todos os tipos de crimes” -, Choudary disse que “Jesus, de fato, era muçulmano” e se fosse vivo hoje estaria ao lado dos muçulmanos “em sua luta para liberar suas terras e para implementar a lei de Deus”.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.