Homofobia pode ser fobia de si mesmo

Marcos Guterman

13 de abril de 2012 | 10h00

Estudo recente indica que a homofobia é mais comum entre indivíduos que se dizem heterossexuais, mas que sentem atração por pessoas do mesmo sexo e tiveram de reprimir esse desejo por causa de pais autoritários, informa o Science Daily.

A pesquisa, a ser publicada no Journal of Personality and Social Psychology, seria a primeira a documentar o papel dos pais e da orientação sexual na construção da hostilidade aos homossexuais. “Em muitos casos, são pessoas que estão em guerra consigo mesmas”, diz Richard Ryan, co-autor do trabalho. Os gays seriam uma ameaça a esses indivíduos porque sua mera existência seria uma forma de expor publicamente a homossexualidade que eles se esforçam em esconder. Casos em que ativistas antigays foram flagrados em atos homossexuais são citados na pesquisa, como prova dessa situação. “Fazemos piada com essa hipocrisia, mas essas pessoas são, elas mesmas, vítimas de repressão”, diz Ryan. “Homofobia não é engraçada. Às vezes, ela tem consequências trágicas.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.