Galileu preferiu Copérnico a seus próprios olhos

Marcos Guterman

05 de março de 2010 | 13h59

O astrônomo Galileu Galilei (1564-1642) é considerado o pai da ciência moderna, mas mandou às favas suas próprias observações quando se tratou de defender a tese copernicana de que a Terra girava em torno do Sol. É o que diz Christopher Graney, físico americano, segundo a Nature. Graney tirou suas conclusões a partir do estudo de manuscritos de um astrônomo contemporâneo de Galileu, Simon Marius.

Graney mostra que as observações de Marius, “mais rigorosas do que as de Galileu”, levavam à conclusão de que a Terra era o centro do Universo e que tudo girava em torno do Sol, que por sua vez girava em torno da Terra. Era o chamado “sistema ticoniano”, relativo ao astrônomo dinamarquês Tycho Brahe.

Graney afirma que, se Galileu “tivesse seguido seus dados de modo mais rigoroso, teria chegado à mesma resposta de Marius”. Mas Galileu era “muito comprometido com o copernicanismo”, diz o historiador da ciência Rienk Vermij, da Universidade de Oklahoma. “Por isso não surpreende que ele não tenha usado seus argumentos contra Copérnico, embora, segundo os padrões atuais de rigor científico, ele devesse tê-lo feito.” Para Graney, Galileu preferiu Copérnico a despeito de suas próprias observações “porque era um sujeito inteligente”.

Mais conteúdo sobre:

CopérnicoGalileuheliocentrismo