Flotilhas, flotilhas, negócios à parte

Marcos Guterman

23 de junho de 2010 | 21h49

O governo da Turquia, que deu amplo apoio à famosa “Flotilha da Liberdade” e acusa Israel de cometer “crimes contra a humanidade”, entre outras gentilezas, enviou uma comissão de militares a Israel. O objetivo deles é aprender a usar os aviões não tripulados fabricados no país e que os turcos querem comprar, informa o Jerusalem Post.

O governo de Israel, que ficou bastante irritado com a atitude turca no caso da flotilha, hesitou, mas acabou dando sinal verde à negociação. Afinal, o contrato, assinado em 2004, é de US$ 180 milhões.

Tudo o que sabemos sobre:

Flotilha da LiberdadeIsraelTurquia

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: