Estava demorando

Marcos Guterman

28 de abril de 2009 | 00h42

Já tem gente nos EUA que encontrou na gripe suína um argumento para expressar seu verdadeiro apreço pelos mexicanos.

Neal Boortz, que tem um programa de rádio com audiência semanal de 4,5 milhões de ouvintes, disse que o risco, para os EUA, é o “bioterrorismo”. “Existe maneira melhor de introduzir o vírus neste país do que inoculá-lo nos mexicanos?”, Boortz perguntou. “Afinal”, ele diz, “uma em cada dez pessoas nascidas no México já vive aqui, e o resto quer entrar.” Boortz lamenta que a onda do politicamente correto impeça as autoridades americanas de fechar as fronteiras.

[kml_flashembed movie=”http://mediamatters.org/static/flash/mediaplayer316.swf?” width=”320″ height=”260″ wmode=”transparent” /]

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.