Enfim, uma fatwa contra o terrorismo

Marcos Guterman

02 de março de 2010 | 19h54

Muhammad Tahir-ul-Qadri, um dos mais importantes clérigos muçulmanos do Paquistão, emitiu nesta terça-feira no Reino Unido uma “fatwa” (pronunciamento legal islâmico) segundo a qual “os atentados suicidas e os ataques contra civis não são apenas condenados pelo islã, mas deixam os perpetradores totalmente fora do rebanho do islã; em outras palavras, tornam-se infiéis”.

O jornal Telegraph considera que a palavra de Tahir-ul-Qadri pode ter grande peso no Reino Unido, levando extremistas a repensar seu comportamento no país. Em entrevista, o clérigo disse que não há “se e mas” quando se trata de terrorismo, e pediu que outras lideranças islâmicas ajudem a disseminar a mensagem segundo a qual o terrorismo não é digno de um verdadeiro muçulmano.

Tudo o que sabemos sobre:

fatwaislamismoReino Unidoterrorismo

Tendências: