Em Nova York, “gay” deixa de ser ofensa

Marcos Guterman

02 de junho de 2012 | 12h21

Um tribunal de Nova York decidiu que chamar um heterossexual de “gay” não é mais uma ofensa, informa a Associated Press. Segundo o entendimento da corte, a sociedade não trata mais esse rótulo como uma difamação. Logo, se não há difamação, não há crime.

A decisão considerou que as sentenças anteriores condenando réus em casos assim foram baseadas “na falsa premissa de que é vergonhoso ser descrito como gay, lésbica ou bissexual”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.