E Obama interferiu no Irã

Marcos Guterman

17 de junho de 2009 | 00h25

O governo americano vem mantendo distância prudente dos acontecimentos no Irã. Mas não perdeu a chance de interferir: pediu que o Twitter, principal ferramenta de comunicação da oposição iraniana, adiasse a manutenção da rede, ação que interromperia o serviço num momento crucial.

Para Obama, a voz da oposição iraniana “deve ser ouvida“.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.