E o Hizbollah corteja o FMI

Marcos Guterman

27 de maio de 2009 | 00h19

O Hizbollah está mantendo diálogo com o Fundo Monetário Internacional e com a União Européia para assegurar que o Líbano continue a receber dinheiro dessas duas instituições se o grupo fundamentalista xiita vencer as eleições libanesas do mês que vem. A informação é do Financial Times.

Tido como terrorista pelos EUA, o Hizbollah sabe que uma vitória sua pode fazer com que o Ocidente e os países árabes sunitas deixem de colocar dinheiro no Líbano, o que seria desastroso para a já frágil economia do país.

A UE já garantiu que continuará a financiar o Líbano, qualquer que seja o governo. Já o FMI foi burocraticamente reticente.

Tendências: