É isto um republicano?

Marcos Guterman

06 de janeiro de 2011 | 13h08

Os dois filhos do ex-presidente Lula tiveram seu passaporte diplomático renovado. Ou seja: nos próximos quatro anos, terão amplos privilégios em relação aos brasileiros mortais para viajar pelo mundo. A lei permite tal absurdo desde que haja “interesse do País”. Pois foi justamente esse o argumento invocado pelo então chanceler Celso Amorim para, no apagar das luzes do governo Lula, dar esse presente aos meninos. É preciso muita imaginação para considerar que os filhos de Lula possam, de alguma maneira, representar no exterior os “interesses” brasileiros.

Sugiro que os 4% dos brasileiros que não consideram Lula um deus sejam dispensados de custear os privilégios da família do ex-presidente, ora refestelada no Guarujá em instalação militar – igualmente mantida com dinheiro público.

Tudo o que sabemos sobre:

Lula

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.