É a corrupção, estúpido

Marcos Guterman

27 de junho de 2010 | 17h29

O presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, comeu hambúrguer com Obama numa lanchonete de Washington e ganhou um iPod novinho de Steve Jobs quando visitou a Apple. Medvedev estava animadíssimo com a receptividade americana – traduzida na promessa de investimentos de US$ 1 bilhão da Cisco Systems na Rússia. Ele admitiu que “o capitalismo de risco não está indo bem” em seu país, porque “ninguém quer correr riscos”. Steve Jobs então lhe disse que isso é “cultural” e que é preciso “mudar a mentalidade”.

O que Jobs quis dizer com isso é um tanto enigmático, mas, para os políticos americanos, a coisa é muito clara: os “capitalistas” russos não correm riscos porque estão garantidos por uma eficiente rede de corrupção no governo. “Os investidores americanos deveriam ter sérias preocupações sobre a corrupção na Rússia”, disse Anna Eshoo, deputada democrata. Para William Browder, empresário que já investiu na Rússia, “não basta apenas pronunciar a palavra ‘modernização’ e esperar que todos os problemas simplesmente desapareçam”.

Tudo o que sabemos sobre:

capitalismocorrupçãoRússia

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: