Dois milênios de uma problemática lenda alemã

Marcos Guterman

28 de agosto de 2009 | 21h17


Hermann, ou Armínio: herói da Alemanha, vitaminado

Há 2.000 anos, os germânicos derrotavam três legiões romanas na Floresta de Teutoburgo, expulsando-as da “Germânia”, em episódio fundador da nação alemã. A história, recuperada no século 16 por conta da descoberta de um texto do romano Tácito, ganhou vários acréscimos ao longo dos tempos, como costuma acontecer com as lendas. Hoje, depois de várias descobertas arqueológicas que ajudaram a reconstituí-la, sabe-se que a narrativa é bastante exagerada. Ela criou o primeiro herói alemão, Hermann (ou Arminio), cuja figura foi celebrada logo após a unificação alemã, no século 19, com uma imensa estátua voltada para a França, então o principal inimigo da Alemanha de Bismarck.

Mas o mito de Hermann foi também uma das principais inspirações dos nazistas, razão pela qual os alemães pretendem relembrar com moderação seu feito de dois milênios atrás.

Tendências: