Dilma é uma mulher muito ocupada

Marcos Guterman

10 de junho de 2011 | 09h14

 

O Palácio do Planalto informou que a agenda da presidente Dilma Rousseff está aberta somente a chefes de Estado e de governo, razão pela qual ela não pôde abrir espaço para receber a iraniana Shirin Ebadi, Prêmio Nobel da Paz e ativista de direitos humanos. De fato, desde que assumiu, Dilma só se encontrou com importantes chefes de Estado, como dá para ver nas fotos abaixo:

 

Dilma com a presidente da Shakirolândia

 

Dilma com o primeiro-ministro da Yutchulândia

 

Dilma com a rainha da Martalândia

 

 

Se Ebadi ao menos soubesse rebolar ou jogar bola, ela teria mais chances com Dilma. Mas, como só quer saber de denunciar violações dos direitos humanos no Irã, teocracia que o Brasil lulista corteja em seu projeto megalomaníaco internacional, Ebadi pode ir cantar em outra freguesia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.