Carter: “Religião e política estão misturadas demais”

Marcos Guterman

04 de novembro de 2010 | 00h15

Jimmy Carter, ex-presidente americano conhecido por sua religiosidade, acredita que “religião e política estão misturadas demais”.

Carter disse que as igrejas têm obviamente o dever de se manifestar sobre questões morais. O problema, segundo ele, é que  “há pastores que abertamente dizem a seus seguidores como devem votar”, o que, para ele, é “uma grave ruptura do princípio de separação entre igreja e Estado”.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.