Boris Yeltsin, o discreto

Marcos Guterman

06 de outubro de 2009 | 23h57

Boris Yeltsin deu vários vexames por causa de sua notória paixão pela bebida. Um deles se deu em 1995, quando ele ainda era presidente da Rússia e estava em visita aos EUA. Como conta o jornalista Taylor Branch em livro baseado em entrevistas com Bill Clinton, Yeltsin saiu tarde da noite do prédio de hóspedes do governo americano em Washington porque queria uma pizza. Como lembra Clinton, o russo estava completamente bêbado e vestia só uma cueca quando tentava chamar um táxi. Foi “resgatado” pelo pessoal do serviço secreto.

Em favor de Yeltsin, é bom lembrar que o premiê britânico Churchill, um dos mais importantes líderes da história ocidental, também bebia quantidades industriais de whisky e pelo menos uma vez foi flagrado pelado na Casa Branca, durante visita ao então presidente Roosevelt. “Não tenho nada a esconder”, justificou Churchill.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.