As voltas que o mundo dá

Marcos Guterman

26 de agosto de 2010 | 00h01

Ken Mehlman foi o chefe da campanha eleitoral de George W. Bush em 2004, classificada por grupos americanos de defesa dos homossexuais como a mais homofóbica da história dos EUA. Pois esse mesmo cavalheiro veio a público, na quarta-feira, para anunciar que é gay.

“Levei 43 anos para me sentir confortável com essa parte da minha vida”, disse Mehlman, segundo registro da CBS. “Cada um tem seu próprio caminho, sua própria jornada. No meu caso, nos últimos meses, eu contei à minha família, aos meus amigos, a meus antigos e atuais colegas, e todos foram maravilhosos e deram apoio. O processo tem sido algo que me deixou feliz e me fez uma pessoa melhor. É algo que eu desejava fazer havia anos, mas não fiz.”

Mehlman negou que Bush seja homofóbico, mas reconheceu que o então presidente explorou o sentimento anti-gay de parte dos americanos para se reeleger.

Tudo o que sabemos sobre:

homossexualidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.