As ferramentas de busca moralmente corretas

Marcos Guterman

20 de setembro de 2010 | 22h10

Grupos religiosos desenvolveram ferramentas de busca na internet cujos resultados são considerados moralmente seguros.

O mais novo mecanismo é o I’mHalal, que significa “eu sou halal”, isto é, de acordo com os preceitos islâmicos. Segundo a France Presse, ele foi criado na Holanda com o objetivo de oferecer ao usuário um “ambiente seguro” de busca – ao digitar a palavra “pornography” (pornografia, em inglês), por exemplo, o I’mHalal não retorna nenhum resultado.

Os cristãos, por sua vez, têm a sua disposição o SeekFind, que direciona a busca para sites com finalidade teológica e moral. Nele, ao se digitar a palavra “pornography”, aparecem resultados como “Livrar-se do vício em pornografia” e “Por dentro da mente de um viciado em pornografia”.

Já os judeus podem usar o Jewogle, um site que imita o Google e, modestamente, se dedica a “celebrar a contribuição judaica à civilização”. Fiel ao espírito judaico de responder a uma pergunta com outra pergunta, a ferramenta, na busca da palavra “pornography”, retorna resultados como “O que há de errado com pornografia?” e “A pornografia é um pecado?”.

Tudo o que sabemos sobre:

ferramentas de buscaInternet

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.