Aos 3 anos, o garoto decidiu: “Eu sou uma menina”

Marcos Guterman

20 de fevereiro de 2012 | 18h15

No final de 2010, o menino britânico Zach Avery, então com três anos de idade, decidiu que queria ser uma menina. Ele sofre de transtorno de identidade de gênero, o que o faz sentir-se uma garota presa no corpo de um menino, relata o jornal Telegraph.

A mãe de Zach, Theresa, de 32 anos, disse que o garoto era “normal” até que, um dia, anunciou: “Mamãe, eu sou uma menina”. Então, ele resolveu usar vestidos e deixar o cabelo crescer.

Theresa achou que era apenas uma fase passageira, mas os médicos que ela consultou acabaram chegando ao diagnóstico de transtorno de gênero. E Zach reagia com violência quando se referiam a ele como menino – ameaçava até mesmo cortar seu pênis fora.

A escola onde Zach estuda, em Essex, criou um banheiro “neutro” para atender o aluno. O problema será quando ele ficar mais velho, diz Theresa, e não houver banheiros “especiais” para ele nas escolas.

A mãe diz que a família apóia Zach. “Ele quer ser apenas uma garotinha e é muito feliz com seu longo cabelo loiro, sua cama cor-de-rosa e seu guarda-roupa cheio de vestidinhos. Ainda colocamos roupas de meninos no armário, caso ele decida usá-las. Deixamos a ele a decisão de vestir ou não – se ele mudar de ideia e quiser ser um menino de novo, então ele poderá vestir; mas, se ele não quiser, tudo bem. Eu adoraria ter meu filho de volta, mas eu quero que ele seja feliz. Se esse é o caminho que ele quer seguir, se isso o deixa feliz, então que seja. Eu dou a ele todo o meio apoio.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.