Animais precisam de advogados?

Marcos Guterman

08 de março de 2010 | 14h52

O eleitorado de Zurique rejeitou uma proposta que tornaria obrigatório providenciar advogados para animais relacionados como vítimas em processos por crueldade. Como mostra a Nature, a medida era realmente desnecessária, já que a legislação de Zurique sobre o tema é suficientemente dura: em 2008, um comitê do governo chegou a questionar se uma determinada pesquisa deveria ser financiada, já que estava comprometendo a “dignidade das plantas”.

Mas os defensores dos direitos dos animais têm lá seus argumentos. Antoine Goetschel, que funciona como “advogado de animais”, argumentou: “E se um cientista tentar produzir uma mosca com 12 olhos? Quem irá representar a dignidade dessa criatura?”.

Mais conteúdo sobre:

crueldade animal