Alunos espinafram professores: liberdade de expressão?

Marcos Guterman

30 de junho de 2009 | 23h50

Um site na Alemanha, o spickmich.de, tornou-se febre no país ao permitir que alunos, protegidos pelo anonimato, avaliassem seus professores. As notas são as mesmas dadas nas escolas aos estudantes – de 1 a 6, sendo 6 a pior avaliação.

Uma professora de alemão cuja média ficou em 4,3 entrou na Justiça para pedir a suspensão do site, sob o argumento de que invadiu sua privacidade. Na terça-feira, o tribunal considerou sua reclamação improcedente – a liberdade de expressão dos alunos, nesse caso, é soberana.

Para a maior parte da imprensa alemã, a decisão foi correta. Afinal, se hotéis e restaurantes podem ser avaliados pelos consumidores anônimos em sites na internet, professores também podem.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.