A Rússia está encolhendo

Marcos Guterman

25 de março de 2009 | 00h00

Apesar de sua grande prosperidade e da relativa estabilidade, a Rússia está às voltas há alguns anos com uma ameaçadora crise demográfica. Um estudo da ONU, citado pelo New York Times, mostra que a população do país deve recuar dos atuais 141 milhões para 116 milhões em 2050, uma queda de 18%.

Menos gente significa menos mão-de-obra, menos soldados, menos consumidores e menos contribuintes. Por isso, o Kremlin está pagando para que os russos tenham mais filhos e, há dois anos, começou a convidar os emigrados a voltar.

Moscou estima em 25 milhões os russos espalhados pelo mundo, a maioria morando em ex-repúblicas soviéticas. Até agora, porém, com mais de US$ 300 milhões gastos, pouco mais de 10 mil aceitaram voltar.

Tendências: