A prova da megalomania

Marcos Guterman

25 de março de 2010 | 00h10

Acaba de ficar claro, se é que alguém era suficientemente ingênuo para crer no contrário, que o Brasil não tem a menor condição de exercer alguma influência sobre o Irã. Ficou-se sabendo nesta quarta que Rússia e China pediram que Teerã aceitasse o acordo com a ONU sobre seu projeto nuclear – que, na prática, o impediria de ter um arsenal atômico. Mas o regime iraniano ignorou solenemente a pressão.

Ora, se China e Rússia não conseguem convencer o Irã a colaborar, o que faz o presidente Lula pensar que o Brasil conseguirá? Em uma palavra: megalomania.

Tendências: