A outra face do Wikileaks

Marcos Guterman

02 de setembro de 2011 | 17h43

Festejado por sua “cruzada” em favor da transparência dos governos e da liberdade de expressão, o Wikileaks publicou uma série de documentos diplomáticos americanos sem omitir os nomes de pessoas que forneceram informações – e que, por essa razão, podem ser alvo de violência.

Já se sabia que o Wikileaks, fruto da megalomania de Julian Assange, servia sobretudo para alimentar fofocas sobre chefes de Estado e para prejudicar diplomatas ao redor do mundo, cujo trabalho exige uma dose considerável de discrição para funcionar.

Agora, o Wikileaks escancara outra face de sua natureza: a de alcagüete.