A China prepara ofensiva para melhorar imagem

Marcos Guterman

24 de agosto de 2010 | 10h00

O governo chinês convocou 50 estrelas do país reconhecidas no exterior para uma tarefa patriótica: elas serão protagonistas de peças publicitárias cujo objetivo é vender uma imagem de “prosperidade, democracia, abertura, paz e harmonia” ao mundo. Vão participar do esforço o jogador de basquete Yao Ming, o diretor de cinema John Woo e o ator Jackie Chan, entre outros.

Para o governo, essa ação é necessária porque a opinião pública internacional sobre a China é influenciada pela “propaganda negativa” produzida no Ocidente. Não será fácil. “Vamos encarar os fatos”, disse um comentarista ocidental de Hong Kong no Asia Times. “Será difícil para o mundo se relacionar melhor com um país que é o único amigo e sustentáculo de regimes como o de Kim Jong-il na Coreia do Norte e de Robert Mugabe no Zimbábue.”

Tudo o que sabemos sobre:

Chinapropaganda

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.