Através de Lula, Cuba agora aceita conselhos de Blairo Maggi, expoente do agronegócio, para plantar soja

Através de Lula, Cuba agora aceita conselhos de Blairo Maggi, expoente do agronegócio, para plantar soja

Marcelo de Moraes

26 de fevereiro de 2014 | 15h57

Raúl Castro, Lula e Blairo Maggi em foto de Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Menos de um mês depois de a presidente Dilma Rousseff passar por Cuba para inaugurar o Porto de Mariel, construído na sua maior parte com financiamento do BNDES, agora é a vez do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva visitar a ilha. Lula se encontrou com Raúl Castro, para quem entregou uma camisa da seleção brasileira.

Além das amenidades de sempre, o tema das conversas passou pelo compartilhamento de experiências brasileiras na área de energia, especialmente com a ampliação do uso da biomassa em Cuba, especialmente no plantio de cana de açúcar.

Mas a grande novidade nas conversas foi a presença do senador Blairo Maggi (PR), em Havana, para dar conselhos aos cubanos sobre o plantio de soja. Trata-se de uma cena inimaginável até alguns anos atrás, quando Blairo era muito criticado por petistas e por outros partidos de esquerda pela sua participação como um dos grandes expoentes do agronegócio, justamente no plantio da soja.

Com o passar do tempo, Blairo se aproximou de Lula e do seu governo, se transformando em parceiro político. E, agora, se tornou uma espécie de consultor informal de Lula nas conversas com Raúl Castro e os cubanos.

Raul Castro e Lula em foto de Ricardo Stuckert/Instituto Lula

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.