Radiografia eleitoral da Bancada Ruralista

Radiografia eleitoral da Bancada Ruralista

Carolina Corrêa

27 Novembro 2018 | 09h59

As frentes parlamentares, também conhecidas como bancadas, são formadas por representantes do Poder Legislativo que atuam de modo unificado em função de interesses comuns, independentemente do partido político ao qual pertençam. É uma espécie de agrupamento suprapartidário. A Frente Parlamentar Mista da Agropecuária, chamada de bancada ruralista, é a maior frente parlamentar do Congresso Nacional, composta, na atual legislatura, por 226 deputados e 27 senadores.

Nos últimos meses, a bancada ruralista ganhou destaque no cenário político brasileiro. Durante a eleição, grande parte da bancada apresentou apoio à candidatura de Jair Bolsonaro (PSL). Há poucos dias, o candidato eleito indicou como futura Ministra da Agricultura, a deputada e engenheira agrônoma Tereza Cristina (DEM), atual coordenadora da Frente Parlamentar Mista da Agropecuária.

A bancada ruralista defende temas como a produção agrícola em larga escala, o incentivo ao agronegócio e a ampla utilização de agrotóxicos, além de, muitas vezes, adotar uma posição contrária à demarcação de terras indígenas e quilombolas em território brasileiro. Inserida num tradicional embate com a Frente Parlamentar Ambientalista, a bancada ruralista já esteve envolvida em diferentes polêmicas dentro do Congresso Nacional, podemos rememorar, por exemplo, os intensos debates em torno das alterações no Código Florestal Brasileiro, especialmente no que diz respeito a lei sobre as áreas de preservação permanente.

Dos 226 deputados federais que atualmente estão registrados como membros da Frente Parlamentar Mista da Agropecuária, na 55ª Legislatura, 18 estão fora de exercício, por diferentes motivos. Dos 209 deputados em exercício, 192 candidataram-se a algum cargo nas eleições de 2018 (excluindo, nessa análise, aqueles que se candidataram a suplentes de senadores).

GRÁFICO 1: Quantidade de Deputados Federais membros da Frente Parlamentar Mista da Agropecuária que foram candidatos e eleitos nas eleições de 2018

 

Fonte: Elaborado pela autora com base no Repositório de Dados Eleitorais do TSE.

Foram 169 deputados federais da Frente Parlamentar Mista da Agropecuária que buscaram a reeleição, mas apenas 95 foram eleitos. Desse modo, a taxa de reeleição dessa frente parlamentar na Câmara dos Deputados foi de 56,2% – uma taxa positiva, se comparada com a taxa de reeleição de toda a Câmara dos Deputados, que foi de 48,9%. Alguns deputados, também membros dessa frente parlamentar, tentaram eleger-se em outros cargos: 13 candidataram-se ao cargo de senador, seis ao cargo de vice-governador, três ao cargo de governador e um como deputado estadual. No gráfico abaixo, podemos observar quantos alcançaram sucesso em sua candidatura.

GRÁFICO 2: Quantidade de deputados federais membros da Frente Parlamentar Mista da Agropecuária que foram candidatos e eleitos em outros cargos nas eleições de 2018

Fonte: Elaborado pela autora com base no Repositório de Dados Eleitorais do TSE.

Como já mencionado, a Frente Parlamentar da Agropecuária é mista, portanto, é composta não só por deputados federais, mas também por senadores. Todavia, a taxa de reeleição dos senadores membros dessa frente parlamentar é muito mais baixa do que a taxa de reeleição referente aos membros advindo da Câmara dos Deputados – apenas dois senadores foram reeleitos.

Dos 27 senadores que atualmente compõem tal bancada, dois não se candidataram porque possuem mandato até 2022, três senadores simplesmente não almejaram cargos eletivos, dez se candidataram à reeleição como senadores, oito se candidataram ao cargo de governador, dois escolheram a candidatura como deputados federais, a atual senadora Ana Amélia Lemos (PP) candidatou-se à vice-presidente e o senador Álvaro Dias (PODE) foi candidato à Presidência da República. O gráfico 3 apresenta detalhes sobre as candidaturas desses senadores.

GRÁFICO 3: Quantidade de senadores membros da Frente Parlamentar Mista da Agropecuária que foram candidatos e eleitos

Fonte: Elaborado pela autora com base no Repositório de Dados Eleitorais do TSE.

Em termos partidários, a Frente Parlamentar Mista da Agropecuária possui, atualmente, grande parte dos seus membros advindos do MDB, PP, DEM, PR, PSDB e PSD, conforme explicitado no gráfico 4. Esses partidos também foram os que mais reelegeram parlamentares membros da bancada ruralista – o MDB reelegeu 18 deputados, o DEM e o PP reelegeram, cada um, 12 deputados, o PR reelegeu 11, o PSDB reelegeu cinco, enquanto o PSD reelegeu oito.

GRÁFICO 4: Quantidade de deputados e senadores, por partido, que atualmente compõem a Frente Parlamentar Mista da Agropecuária (55ª Legislatura)Fonte: Elaborado pela autora com base no Repositório de Dados Eleitorais do TSE.

 

Os dados apresentados demonstram que uma parte significativa da elite política que compõe a bancada ruralista conseguirá se manter no campo político pelos próximos quatro anos, seja por meio da reeleição, ocupando os mesmos cargos de deputado federal e senador, ou, então, assumindo outros cargos no Poder Executivo, como Governador e Vice-Governador. Existe, ainda, uma estimativa de que essa bancada receba, a partir de 2019, uma quantidade expressiva de novos membros originários de uma importante taxa de renovação que o Congresso obteve nessas eleições – 51,1% de renovação na Câmara dos Deputados e 85,2% no Senado. O PSL, por exemplo, partido do candidato Jair Bolsonaro, elegeu uma grande quantidade de deputados federais que possuem pautas e bandeiras de ação política muito próximas daquilo que é defendido pela bancada ruralista, de modo que podemos esperar uma aproximação desses parlamentares em relação à bancada. Em breve, a partir da nova Legislatura, será possível observar e analisar essa provável modificação na composição da Frente Parlamentar Mista da Agropecuária.