Nota de repúdio

Humberto Dantas

08 de setembro de 2021 | 14h29

Texto de autoria de: Humberto Dantas, Veraci Street, Rosangela Giembinski, Samuel Oliveira, Bruno Silva, Joyce Luz e André Rocha – diretores do Movimento Voto Consciente. Seu teor expressa a percepção daqueles que o assinam.

 

O Movimento Voto Consciente nasceu em 1987, antes mesmo das garantias constitucionais de 1988 em torno da liberdade de expressão e de associação. Ao contrário do que aprendemos em algumas escolas, e no senso comum, não chamamos essa década de “perdida”. Se do ponto de vista econômico ela foi muito difícil, sob a lógica política o período foi o mais importante da História do Brasil quando o assunto é a garantia da Democracia e de seus pilares essenciais.

Um deles está concentrado na ideia da tripartição dos poderes.

Assim, diante dos ataques à democracia, sobretudo ao Judiciário e às eleições, desferidos pelo presidente da República no dia 07 de setembro de 2021, registramos aqui, formalmente, nosso repúdio a um comportamento que incita o ódio às organizações que nos respaldam formalmente. Jair Bolsonaro esgotou qualquer possibilidade de respeito à requerida “liberdade de expressão”. O atentado à democracia que se assiste sob seu protagonismo é o símbolo maior da subversão plena ao direito de pensamento, e concretiza a ideia de que tais garantias requerem limites que estão explicitados na Constituição Federal de 1988 – e foram ultrapassados.

Sabemos que as eleições sempre poderão ser mais seguras e confiáveis, algo que reconhecemos que a justiça eleitoral tem buscado consolidar nos últimos anos a partir da urna eletrônica. Reconhecemos que o Poder Judiciário carrega consigo problemas que merecem atenção, debate e ajustes. Parcelas da sociedade defendem a dita Reforma do Judiciário faz décadas no Brasil, e isso tem ocorrido, a despeito do ritmo lento, nos tempos recentes. Aprofundar tal debate só é possível dentro de um ambiente democrático. Impor desobediência ao STF e ameaçar as eleições é sinal absoluto de tudo o que não acreditamos ao longo de quase 35 anos de história de nossa organização.

Manteremos viva a caminhada rumo à democracia de maneira inegociável. O instante requer lideranças lúcidas e ativas, que sob gestos universais e absolutamente legais possam reordenar a desordem protagonizada por um agente desajustado aos valores que defendemos. O Movimento Voto Consciente se apresenta para esse instante da mesma forma como corajosamente nasceu em 1987: convicto de que a Democracia é o bem maior da sociedade.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.