Hey, Jovem! Você não é o futuro!

Joyce Luz

31 de março de 2022 | 12h01

Esse texto vai soar brega, meio piegas e com certeza vai ter alguém em algum lugar falando: “Lá vem! Lá vem a tia chata falar do rolê das eleições e da importância do título de eleitor!”. Pois é,  hoje vou correr o risco de ser a tia chata e de soar meio piegas para falar com vocês,  jovens!

Sabe aquela história que contaram para vocês ou que vocês ouviram em algum momento da vida de que:  “vocês jovens são o futuro  da nação”? Essa história não é verdade. Peço desculpas por desapontá-los, mas vocês não são os heróis do futuro que vão salvar todos os brasileiros e brasileiras dos males que nos consomem atualmente.

Vou aqui colocar algumas situações do nosso dia a dia na esperança de que muitos de vocês se identifiquem com algumas delas.

  1. Se quebramos o braço ou a perna ou se precisamos tomar a vacina contra a covid-19 e não temos convênio médico, nós vamos até onde? Até algum hospital público ou UBS que faz parte do SUS – nosso sistema de Saúde Pública no Brasil. Pode ser que a fila de espera seja quilométrica e que o atendimento não tão bom, mas, no fim, você será atendido, será curado e não pagará nada por isso.
  2. Para conseguirmos empregos melhores e melhorarmos, consequentemente, nossa condição financeira, nós sabemos que precisamos frequentar escolas. Pesquisas apontam que quanto maior nossa escolaridade, maior serão nossos salários e melhor será nossa condição de vida. Mas se eu sou jovem e não tenho como pagar uma escola particular, para onde eu recorro? Para a escola pública. Financiada pelo governo municipal, estadual ou federal. Ah! Mas aqui eu poderia reclamar da escola pública e falar que as condições de ensino e infraestrutura das escolas são péssimas. Ótimo! Você pode reclamar, mas você já pensou que alguém, que não é Deus, pode mudar essa situação?
  3. Não temos carro, mas queremos nos deslocar pela cidade e também não temos dinheiro para pagar o Uber ou táxi . O que nós usamos? O transporte público. E se você é jovem e estudante você ainda tem o direito de pagar meia pela passagem. Aqui também é possível reclamar que o ônibus, o metrô e até mesmo o trem estão cheios e que o intervalo de espera é enorme. Mas, ainda assim, pagamos bem menos para nos deslocar, caso escolhêssemos um meio particular.

Eu poderia ficar aqui descrevendo inúmeras situações do dia a dia em que eu, vocês jovens e a maioria dos brasileiros e brasileiras vivenciam. No entanto eu prefiro falar para vocês sobre o que todas essas situações têm em comum. Todas elas respiram e falam sobre a nossa e sua Política.

Não se enganem, se hoje temos um sistema público de saúde que nos oferece um serviço gratuito é porque representantes políticos lutaram para que tivéssemos esse direito.  Se hoje toda criança e todo jovem têm acesso à educação pública e gratuita é porque alguém tomou essa decisão por nós.  Se hoje podemos andar pelas cidades através de transporte público e ainda pagando meia passagem é porque, novamente, alguém garantiu essa política pública de locomoção.

E se queremos continuar a usufruir desses benefícios, se desejamos que esses serviços melhorem, adivinhem? Isso depende de quem nós escolhemos, em quem cada um de nós deposita nossos votos. Nossos representantes políticos, seja ele o presidente, o governador, o prefeito, o senador, o deputado federal, o deputado estadual e até mesmo o vereador têm muito poder de decidir sobre os nossos direitos, sobre o nosso acesso à serviços básicos, sobre a qualidade das nossas vidas e das vidas daqueles que nos cercam.

Escolhemos nossos representantes no presente, para que no amanhã eles façam o melhor pela gente. Para que eles olhem para as necessidades do nosso cotidiano e decidam fazer algo para melhorar nossas vidas. Quando deixamos de escolher, infelizmente alguém que muitas vezes não sabe nada sobre as nossas necessidades e sobre o que precisamos para melhorar as nossas vidas é quem escolhe por nós.  Se permitimos esse cenário, não podemos reclamar. Na política a não escolha também é uma decisão e tem suas consequências.

Jovens, se vocês querem melhorar algo na vida de vocês e na vida daqueles que estão próximos a vocês a hora é agora! Se vocês têm entre 16 e 18 anos , vocês podem tirar o título eleitoral até o dia 04 de maio. De forma totalmente online e pelo seguinte endereço eletrônico: https://www.tse.jus.br/eleitor/titulo-de-eleitor/pre-atendimento-eleitoral-titulo-net/pre-atendimento-eleitoral-titulo-net/

Vamos lá, galera, é hora de colocar um cropped e reagir! Vamos para as eleições de 2022! Coloquem a cara a tapa e mostrem para o tio do pavê que vocês são o presente e que vocês, ao contrário do rótulo que a sociedade coloca, se interessam por política porque sabem que ela afeta (e muito!) a vida de vocês! O seu voto, o meu voto e o voto de todos os brasileiros e brasileiras importam igualmente. Não deixem que outros falem por vocês!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.