As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

“Segurei ele pelo braço para esperar a polícia”

Julia Duailibi

19 de março de 2012 | 14h18

Alvo de um Boletim de Ocorrência feito por um funcionário do Metrô, o pré-candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, afirmou que agiu de acordo com a lei ao declarar voz de prisão e segurar o servidor pelo braço.

Russomanno esteve na sexta-feira na estação Ana Rosa para verificar uma denúncia sobre o elevador do local, que não funcionava. Fazia uma matéria para o seu programa na Rede Record. Uma cadeirante no local informou que se arrastava pelas escadas para conseguir chegar à plataforma e não contava com a ajuda dos funcionários do Metrô.

Russomanno cobrou explicação do responsável pela estação, que afirmou que as informações seriam dadas após a chegada da assessoria de imprensa do órgão. O pré-candidato deu então voz de prisão ao servidor e chamou a polícia, segurando-o pelo braço. Depois da confusão, o funcionário foi até a delegacia fazer um B.O. alegando lesão corporal.

“Isso mostra que ele estava preocupado com ele. Não com as pessoas. Eu deveria ter ido com ele até a polícia”, afirmou.  “Tinha gente batendo palma, revoltada com o tratamento que o Metrô dá à pessoa com deficiência”, declarou Russomanno para quem não houve nenhum excesso…

 

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: