As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Política nacional

Julia Duailibi

04 de novembro de 2012 | 19h35

Com Bruno Boghossian

O candidato derrotado do PSDB, José Serra, recebeu aliados e telefonou para tucanos de outros Estados na última semana para declarar sua intenção de voltar a se dedicar à política nacional a partir do ano que vem, em um esforço para “reinventar” o PSDB e o bloco de oposição. O ex-governador começou a pensar no futuro ainda no 2.º turno. A dez dias da votação, quando Fernando Haddad (PT) aparecia com 17 pontos de vantagem nas pesquisas, Serra confessou a um amigo que já fazia planos para continuar na vida pública após sua possível derrota.

Aliados dizem que o tucano deve se candidatar a algum cargo eletivo em 2014. A disputa por uma vaga no Senado é o caminho provável, mas nenhum deles descarta a Presidência da República – especialmente em um cenário em que Aécio saia da corrida para evitar um confronto com a reeleição de Dilma Rousseff e resolva disputar novamente o governo de Minas Gerais, onde está a sua base eleitoral.

Antes de voltar a discutir o Brasil, o tucano acompanhou o noticiário sobre os primeiros dias de Haddad como prefeito eleito. A amigos Serra reclamou que o petista passara a inventar desculpas para não implantar imediatamente promessas de campanha e que encampou projetos que eram seus, como a construção de creches em terrenos próximos a estações de trem e de metrô.

 

Tudo o que sabemos sobre:

futuropolíticaPSDBSerra

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.