As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Os apoios do coronel

Julia Duailibi

19 de julho de 2012 | 18h17

Com Diego Zanchetta

A campanha de vereador do coronel Álvaro Camilo, ex-comandante da PM, tem incomodado seus concorrentes. Em encontro com candidatos a vereador na sede da zona norte da Associação Comercial, o coronel foi bombardeado pelos vereadores Claudinho (PSDB) e Wadih Mutran (PP) ao prometer melhorar a segurança pública da cidade.

“Segurança não é dever de vereador, é dever do governo do Estado. O senhor deveria saber que um vereador não pode criar novas despesas para o Executivo”, disparou Mutran, decano do Legislativo e candidato ao oitavo mandato consecutivo. Constrangido, Camilo admitiu ser inexperiente e prometeu “manter o gabinete aberto” para discutir problemas como o tráfico de drogas e os roubos.

A preocupação mostrada por Claudinho, campeão de votos da Freguesia do Ó, e de Mutran, o ‘rei’ da Vila Maria, atinge outros parlamentares que tentam a reeleição. Entre os atuais vereadores, Camilo é tido como candidato com potencial para “roubar” votos em todas as regiões da cidade. Além de ter coordenado a implementação da Operação Delegada, que hoje tem 10 mil soldados ganhando R$ 1.300 mensais a mais pelo ‘bico’ na Prefeitura, o ex-comandante deve contar com o apoio da maioria dos 31 coronéis que dirigem as subprefeituras da cidade.

“Por onde a campanha dele passar vai fazer estrago”, admite um parlamentar com reduto eleitoral no Brás.

 

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.