As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Mudanças no governo Alckmin

Julia Duailibi

17 de outubro de 2012 | 23h02

Com Bruno Boghossian 

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) mobilizou seu secretariado para conquistar os votos necessários na Assembleia Legislativa a favor da indicação do chefe de sua Casa Civil, Sidney Beraldo, para uma vaga de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Alckmin fez o pedido em uma reunião com parte de seu primeiro escalão na noite de terça-feira, 16, no Palácio dos Bandeirantes.

Os secretários abriram negociações com deputados estaduais do PPS, do PV e do PSB no dia seguinte, para tentar reverter o apoio dos parlamentares à indicação do deputado estadual, Jorge Caruso, do PMDB. O objetivo é tentar atrair os partidos da base aliada de Alckmin ao conferir à nomeação de Beraldo o tom de uma disputa entre governistas e antigovernistas.

Um dos secretários de Alckmin vai se reunir nesta quinta-feira com o presidente do PTB paulista, o deputado estadual Campos Machado, que liderava a campanha pela nomeação de Caruso. Campos e a bancada do PMDB acusam o governo de romper um acordo pela indicação do deputado, que havia sido firmado em maio.

“Essa vaga pertence à Assembleia Legislativa, mas o PSDB quer romper o acordo. Seria colocar dinamite na Casa”, diz Campos Machado. A vaga no TCE será aberta no fim desta semana, com a aposentadoria do conselheiro Claudio Alvarenga.

A possível saída de Beraldo do governo deve precipitar a reforma na equipe de Alckmin, prevista para ocorrer agora logo depois do 2.º turno das eleições municipais. Candidato à reeleição em 2014, o tucano quer deixar o secretariado azeitado para a reta final da gestão, além de colocar na equipe integrantes de partidos que pretendem apoiá-lo.

O favorito para assumir a Casa Civil é Edson Aparecido, secretário licenciado de Desenvolvimento Metropolitano e coordenador da campanha de José Serra (PSDB) na capital paulista. Outros cotados são Julio Semeghini (secretário de Planejamento) e Saulo de Castro (secretário de Transportes).

O governo pode oferecer ao PTB uma secretaria nesta reforma para compensar o desembarque do partido da candidatura de Caruso ao TCE. O advogado Luiz Flávio Borges D’Urso, que disputou a eleição municipal pelo partido como vice na chapa de Celso Russomanno (PRB), é citado como possível ocupante da pasta da Justiça.

 

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.