As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Gabeira viaja pelo País, mas descarta campanha presidencial

Julia Duailibi

08 de fevereiro de 2013 | 18h57

gabeira.JPG

O PV tem planos para o ex-deputado Fernando Gabeira. Quer que ele seja o candidato a presidente pelo partido em 2014, numa reedição do que foi a campanha de Marina Silva quatro anos antes. Gabeira pretende andar pelo País em 2013 para dar cursos de formação política e discutir uma nova agenda de temas nacionais, assim como fez pelo Rio em 2012. Os planos dele, porém, começaram a ser interpretados – e ventilados – pela direção do partido não só como um “sim” ao projeto eleitoral, mas como o início da pré-campanha.

O ex-deputado, que concorreu a governador do Rio em 2010 e ficou em segundo lugar, atrás de Sérgio Cabral (PMDB), descarta desde já a entrada na eleição presidencial. “Não vou entrar mais nessa aventura”, afirma Gabeira, que disputou a Presidência em 1989 pelo PV. “Já disse claramente ao PV que não sou candidato.” E outra candidatura? Deputado, por exemplo? “A princípio, quero continuar a trabalhar como jornalista”.

Gabeira diz que quer debater novos conceitos na política. Lembra que o PV ficou “parado” na temática dos anos 70, trazida da Europa por parte dos seus integrantes que havia vivido no exílio – inclusive ele, que ficou fora do Brasil entre os anos 70 e 79. Naquela época, a agenda falava em feminismo, meio ambiente e legalização da maconha, entre outros pontos. Na avaliação de Gabeira, essa temática deve ser atualizada, e as discussões pelo País ajudariam nisso.

Quanto ao PV, o partido até pode ter planos de lançá-lo candidato para puxar votos e fortalecer a sua bancada de deputados federais. Mas a manobra também é interessante sob outro aspecto. A retirada de uma candidatura colocada é um ativo bem valorizado em negociações para apoiar outros partidos.

 

Tudo o que sabemos sobre:

2014GabeirapresidentePV

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.