As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Entre Chalita e Haddad

Julia Duailibi

01 de março de 2012 | 18h46

Enquanto o PSB flerta com as candidaturas petista e tucana em São Paulo, o ex-ministro Ciro Gomes (PSB-CE) disse que sua “simpatia” oscila entre o pré-candidato do PMDB, Gabriel Chalita, e o pré-candidato do PT, Fernando Haddad.

Crítico do apoio de seu partido ao governo de Geraldo Alckmin – “sempre falei da minha estranheza sobre isso’ -, Ciro avalia que a questão das alianças do PSB em São Paulo deve ser submetidas à Executiva Nacional. “Tradicionalmente, a Executiva Nacional tira a política de aliança, e as exceções são aprovadas separadamente”, declarou.

Para Ciro, não há razão em excluir o PSDB da política de alianças, já que o PSB quer contar com o apoio dos tucanos em Belo Horizonte e em Curitiba.

Em Fortaleza, Ciro defende a candidatura própria em torno do presidente da Assembleia do Ceará, Roberto Cláudio, ou secretário extraordinário da Copa, Ferrúcio Feitosa.

Se o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), não fosse seu irmão, Ciro disse que seria “candidatíssimo a prefeito”. A legislação torna inelegíveis os parentes de até segundo de detentores de mandatos no Executivo.

 

Tudo o que sabemos sobre:

ChalitaCiroHaddadPSB

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.