As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Em SP, Comissão de Direitos Humanos será desmembrada

Julia Duailibi

07 de março de 2013 | 18h26

A Câmara Municipal de São Paulo deve criar a Comissão Extraordinária de Segurança Urbana. O assunto, consenso entre os líderes partidários, será objeto de um projeto de resolução. A ideia é retirar o tema da Comissão Extraordinária Permanente de Defesa dos Direitos Humanos, hoje responsável por assuntos como cidadania, relações internacionais e também segurança pública.

Em São Paulo, a presidente da Comissão de Direitos Humanos será a petista Juliana Cardoso. Se criada, a Comissão de Segurança Urbana deverá ser integrada pelos vereadores Ari Friedenbach (PPS) e Ota (PSB), que entraram na política após familiares terem sido vítimas de violência, e pelos comandantes da reserva da Polícia Militar, vereadores Coronel Camilo (PSD) e Coronel Telhada (PSDB), que chegou a ser cotado pelo PSDB para integrar a Comissão de Direitos Humanos.

Hoje foi eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados o pastor Marco Feliciano (PSC), que ficou conhecido por declarações racistas e polêmicas contra homossexuais.

 

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.