As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Eça de Queiroz, políticos e fraldas

Julia Duailibi

09 Abril 2013 | 15h23

Com Isadora Peron

Em encontro ontem na Força Sindical com o presidenciável Eduardo Campos (PSB), o deputado estadual Major Olímpio (PDT) comparou políticos a fraldas. “Parafraseando Eça de Queiroz, que há mais de 100 anos disse: políticos e fraldas existem para serem substituídos. E, normalmente, pelo mesmo motivo”, disse o parlamentar. A frase atribuída ao escritor português (1845-1900) é: “Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos, pelo mesmo motivo”.

Olímpio fez a declaração durante um elogio a Campos. “Nós temos muita fralda suja na política brasileira. E cada vez mais a população está tomando conhecimento das coisas e está querendo mudança. Vossa Excelência tem perfil, tem currículo e acaba de nos dar uma aula de postura de verdadeiro líder. Sou um homem de partido, vejo com muita satisfação o meu líder de partido neste Estado, Paulinho (o deputado Paulo Pereira da Silva, presidente da Força Sindical), estar abrindo as portas para que Vossa Excelência possa discutir com a classe trabalhadora os destinos para o nosso País”, declarou.

Campos e Paulinho ensaiam uma aproximação para 2014. O governador de Pernambuco precisa de densidade eleitoral na região Sudeste, se resolver disputar a eleição. Paulinho é presidente do PDT no Estado e controla a Força Sindical, que tem como base o Estado de São Paulo. Além disso, o flerte com Campos aumenta o cacife do PDT nas negociações com o PT, de Dilma Rousseff, e com o PSDB, de Aécio Neves. O partido compõe a base governista de Dilma, com o Ministério do Trabalho, e a de Alckmin, com a Secretaria do Trabalho.

Portanto, por enquanto, a aproximação entre os dois não significa uma união eleitoral. Tudo vai depender do que for negociado às vésperas do processo eleitoral, no ano que vem. Ou seja, de quem será mais generoso com o partido.