As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Dieta presidencial

Lista de compras para atender a Presidência em 2015 está de acordo com método de emagrecimento escolhido pela presidente e ministros

Julia Duailibi

06 de janeiro de 2015 | 06h16

Pelo jeito, o ano de 2015 não será só de aperto fiscal. A julgar pela lista de compras de produtos alimentícios não perecíveis da Presidência da República para este ano, a dieta Ravenna está se alastrando pelo governo.

O método do médico e psicoterapeuta argentino Máximo Ravenna, ao qual aderiu a presidente Dilma Rousseff e os ministros José Eduardo Martins Cardozo (Justiça), Eleonora Menicucci (Política para Mulheres) e Kátia Abreu (Agricultura), propõe cortar carboidratos refinados, como pães e bolos, e aumentar  o consumo de alimentos com baixo índice glicêmico.

De acordo com o pregão feito pela Presidência da República em dezembro, constam da lista de compras que neste ano alimentará autoridades e servidores dos palácios da Alvorada e do Planalto e da Granja do Torto 2.000 barras de cereais, 1.100 pacotes de biscoito integral, 557 pacotes de castanhas do pará e de caju, 80 caixas de chá verde, 15 kilos de figo e damasco seco, 20 pacotes de queijo parmesão ralado light, 240 latas de creme de leite light e 1.110 caixas de gelatina diet.

Ao todo, o governo estima gastar R$ 265 mil com as compras, que incluem ainda 600 caixas de água de coco e 120 garrafas de azeite extra virgem, mas também 156 misteriosos vidros de maionese.

 

Tudo o que sabemos sobre:

comprasdietaDilmagastospresidênciaRavenna

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.