As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A agenda presidencial de Eduardo Campos

Julia Duailibi

06 de março de 2013 | 06h03

Potencial candidato a presidente em 2014, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), intensificou o contato com empresários e políticos e deve definir, nas próximas semanas, o marqueteiro que cuidará das campanhas do PSB – e, por extensão, da sua própria campanha presidencial, caso ela venha a se concretizar até o ano que vem.

Desde o segundo semestre de 2012, Campos reserva espaço na agenda para encontros privados em Recife, São Paulo e Brasília com representantes do PIB – por sinal, tradicionais financiadores de campanhas eleitorais. Neste ano, a rotina não mudou. Nas próximas semanas, Campos se encontrará com executivos de diferentes setores em viagens que fará pelo País. No dia 21, terá encontro com representantes do setor varejista em São Paulo. No começo de abril, dará palestra para 5 mil pessoas em Porto Alegre, em evento organizado pelo Instituto de Estudos Empresariais.

Embora ainda não tenha decidido se será candidato, o governador tem se portado como um. A mais de um ano da eleição, também não tem nada a perder colocando o seu nome no jogo. Se tiver de retirar depois, ganhará compensações. Enquanto isso, trabalha eleitoralmente. Aumentou o contato com parlamentares e governadores não só de seu partido como de legendas aliadas. Hoje, vai a Brasília para encontro com a presidente Dilma Rousseff, com quem tem mantido contato frequente, apesar de serem, hoje, virtuais adversários nas eleições de 2014. Retórica a parte, Campos tem que deixar as portas abertas com o governado federal. Pode ainda ser candidato a vice, apesar do bom posicionamento hoje do PMDB. E também precisa da boa vontade do governo federal – leia-se, recursos – se quiser manter Pernambuco como vitrine política.

Nos próximos dias, o governador de Pernambuco também deve bater o martelo e definir o marqueteiro Duda Mendonça como o responsável pelos programas do PSB que irão ao ar em cadeia nacional de rádio e TV em abril, conforme informou a coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, no domingo. A participação de Duda servirá como uma espécie de laboratório. Se funcionar – e se Campos for mesmo candidato a presidente em 2014 -, o marqueteiro tende a acompanhá-lo na empreitada eleitoral.

Campos ficou bem impressionado com Duda durante encontro que tiveram em 2009 para discutir a reeleição do governador. Na ocasião, o marqueteiro traçou um diagnóstico da imagem do governador e deu palpites sobre a forma como ele deveria se posicionar na campanha – alguns acatados, outros dispensados.

Duda Mendonça é dono da DM/Blackninja, que tem ainda o sociólogo Antonio Lavareda como sócio. A empresa já possui contratos com o governo de Pernambuco. Entre os trabalhos feitos pela agência para o Estado, está uma campanha de redução de acidentes com motos. “Motociclista, trabalhe com cuidado, não faça sua família sofrer”, diz o locutor, depois de um filme trágico, e um tanto apelativo, em que um motoqueiro é atropelado, morto e colocado num saco do IML. A Blackninja tem contrato com o governo pernambucano desde 2008, no valor global de cerca de R$ 13,7 milhões.

 

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: