Tuma Jr. e a máfia chinesa: “Dormindo com o inimigo”

João Bosco Rabello

05 Maio 2010 | 16h39

A Polícia Federal interceptou ligações telefônicas que ligam o secretário nacional de Justiça, Romeu Tuma Jr.  à máfia chinesa que atua no Brasil.

A informação – um furo do repórter Rodrigo Rangel,  publicada hoje no Estadão – é estarrecedora não só pela cumplicidade de Tuma Jr com o mafioso, mas também pelo grau de intimidade entre ambos revelado nas gravações.

Tuma Jr não estava sob investigação, mas o chinês Li Kwok Kwen, sim. E ao grampeá-lo, a PF encontrou no caminho nada menos que o secretário Nacional de Justiça.

Numa das conversas gravadas, Tuma Jr marca encontro com Li Kwok Kwen em Ribeirão Preto, onde cumpria agenda oficial, e o convida para pernoitar na cidade.

Ouça aqui a conversa

E sugere que dividam – pasmem – o mesmo quarto de hotel. É o que se pode chamar de dormir com o inimigo – ou  que, pelo menos, deveria ser.