Requião, uma pedra no caminho de Renan

João Bosco Rabello

26 de fevereiro de 2011 | 21h37

A indicação do ex-governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB), para presidir a Comissão de Educação, Cultura e Esporte  provocou mal estar na bancada do PMDB do Senado, já que o líder Renan Calheiros (AL) havia prometido o cargo para o capixaba Ricardo Ferraço.

Mas a reivindicação de Requião, o deixou numa saia justa. Renan preferiu não contrariar o paranaense, conhecido pelo seu temperamento, digamos, singular.

Mas o receio da bancada no Senado é o de que o ex-governador queira cada vez mais espaço e, mesmo, influência nas decisões do partido.

Renan não passa recibo, mas está ciente de que encontrou uma pedra no caminho da liderança plena que vem exercendo desde que se reabilitou politicamente do episódio que o defenestrou da presidência da Casa.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.