PT herda atribuições de Gleisi Hoffmann no Senado

João Bosco Rabello

06 de agosto de 2011 | 16h37

Aos poucos, os petistas vão ocupando os postos deixados por Gleisi Hoffmann no Senado ao assumir a Casa Civil.

 O senador Walter Pinheiro (PT-BA) herdou a relatoria do Plano Plurianual (PPA), que seria de Gleisi. O projeto chega ao Congresso em agosto e foi apontado pela ministra do Planejamento, Miriam Belchior, como um dos principais instrumentos de planejamento e monitoramento das ações do governo.

O PPA é um planejamento de médio prazo das ações públicas. É elaborado no primeiro ano de mandato do presidente eleito para execução nos quatro anos seguintes.

No plano, são estabelecidos objetivos e metas da Administração Pública para investimentos e programas de duração continuada. Os investimentos para períodos superiores a um exercício financeiro só podem ser iniciados se incluídos no PPA.

O presidente da CAE, Delcídio Amaral (PT-MS), nomeou o petista Lindbergh Farias (RJ) para relatar o projeto de lei geral das cooperativas, que estava com Gleisi Hoffmann.

A matéria abriga, ao mesmo tempo, interesses do agronegócio e da agricultura familiar – segmento de forte atuação de Gleisi no Paraná.

A avaliação é de que o relator da matéria terá visibilidade nacional ao tratar de um tema que envolve interesses de pelo menos 30 mil cooperativas em atividade no País e cerca de 30 milhões de brasileiros (considerando-se os cooperados e seus familiares).

Os senadores do PMDB Waldemir Moka (MS) e Luiz Henrique (SC) também estavam no páreo, mas perderam a disputa.

 

 

 

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.